Lançado em meados de 2014, o mais recente projeto da dupla mineira Sérgio Marques e Marquinhos pela MK Music, Abençoado, está entre os 10 melhores álbuns de 2014 eleitos pela equipe do O Propagador e não por acaso. O CD possui todas as características que se busca em um álbum pentecostal e tudo isso apresentado em apenas dez canções.

Vale enfatizar que quando digo “apenas”, não quero dizer que sejam poucas, mas que segue uma tendência diferenciada, já que antes, boa parte dos CDs lançados tinham no mínimo doze faixas. No caso em questão do novo trabalho da dupla Sérgio Marques e Marquinhos, o número reduzido de 10 faixas se deve principalmente à nova política adotada pela gravadora MK Music de limitar a esse número a quantidade de faixas dos álbuns da maioria dos artistas de seu cast, com pouquíssimas exceções. Tal medida considerada radical e temerária por alguns, vem provando estar dando certo, pelo menos é o que nos dá a entender ao ouvir Abençoado. Basta ouvir o projeto anterior da dupla, Boas notícias, e comparar com o novo. A evolução é notável. Claro que o número de faixas não é o fator decisivo na avaliação da qualidade de um CD, mas o que se percebe é que com menos faixas disponíveis, maior é a preocupação em selecionar as composições certas. E isso é ótimo!

Outro ponto a ser mencionado ainda em comparação ao disco anterior da dupla é em relação à sonoridade. Sérgio Marques e Marquinhos vem de uma longeva carreira trilhada dentro do sertanejo, passeando pelo raiz ao universitário. O álbum Boas Notícias representa uma transição entre o sertanejo de raiz, mais tradicional com o pentecostal, com uma mescla notável do até então popular sertanejo universitário. Abençoado no entanto, representa um grande amadurecimento da dupla que embarca de vez na música pentecostal e em grande estilo.

A canção de abertura e também single do projeto, Olaria de Deus vem mostrar essa nova fase da dupla. Canção forte, com uma batida que mexe com o ouvinte, aliada ao refrão de peso e arranjos bem elaborados a tornam uma das melhores canções do álbum e vem chamando a atenção do público tanto nas rádios quanto no YouTube. A composição de George de Paula versa sobre a visão de Jeremias, que compara Deus ao oleiro e nós o barro que precisa ser moldado por Ele.

Em seguida temos a tão boa quanto Deus Incrível, composição de Douglas Alves. Como bom assembleiano, posso dizer que consigo identificar apenas de ouvir uma vez uma música que tem tudo pra cair na boca dos grupos de jovens e essa com certeza é uma. União de letra, arranjos, backing vocals e claro uma interpretação arrojada da dupla a coloca facilmente na disputa pelo título de melhor do disco e até melhor música pentecostal do ano.

Vai Ficar Tudo Bem, composição de Anderson Freire, vem com uma pegada mais leve que as anteriores, mas não deixa de ter seu brilho. Vale salientar que a canção foi gravada anteriormente pela cantora Célia Sakamoto em 2012 inclusive dando título ao álbum e coincidentemente, a produção musical também foi assinada pelo maestro Melk Carvalhedo. No trabalho de Sérgio Marques e Marquinhos a canção ganhou nova roupagem, tanto nos arranjos, quanto à interpretação.

Abençoado, tema do álbum, é a primeira composição da dupla no CD e aqui Sérgio Marques e Marquinhos traz a essência do sertanejo, coma pegada forte do forró. Resumindo, uma das canções mais animadas do disco e não apenas no ritmo, mas também na letra que tem esse objetivo mesmo, animar aquele que por algum motivo começou o dia “com o pé esquerdo”.

Sistema de Comunicação, composição de Dill (Os Nazireus) faz uso da metáfora para cantar sobre a oração na vida do crente. Destaque para a ponte da faixa, principalmente pelo peso trazido pelo backing vocal. Apesar de no conjunto da obra o resultado ser mediano, merece destaque pela letra que traz uma forma criativa de falar sobre a importância de se comunicar com Deus através da oração.

A faixa seguinte é Resposta de Deus, de autoria da dupla. Uma bela canção reflexiva com uma introdução leve com poucas cordas e ganha um brilho extra pela forte presença do violino. Com participação de Léa Mendonça, versa sobre a divergência entre os nossos planos e os planos de Deus e como às vezes queremos ditar pra Deus o que Ele deve fazer quando na verdade temos que confiar que os planos dEle são melhores que os nossos.

Provavelmente a faixa seguinte, Pode Sonhar seja a que mais se aproxima dos trabalhos anteriores da dupla. Um sertanejo moderno, é composição de Mineirinho Adimilson e de certa forma, complementa a mensagem trazida pela faixa anterior, afirmando que não há problema em sonhar, mas tudo tem um tempo para acontecer, apesar de o presente parecer difícil, Deus está preparando o terreno para a vitória que irá entregar.

Em seguida temos Já era, uma canção à lá grandes nomes do sertanejo secular em termos de sonoridade. A letra, no entanto é bastante cristã e funciona como um testemunho cantado. De autoria da dupla, tem seu ápice no refrão: “Sempre que eu quiser falar com Deus / contar a Ele os sofrimentos meus / Ele estará disponível, é incrível o meu Deus / Ele ouve a minha oração / responde com exata precisão / Ele apaga o meu passado e põe um fim na solidão“. Sem dúvida a melhor canção de autoria da dupla no álbum.

Chegando ao fim do disco, temos a penúltima faixa, Entregue pra Deus, de autoria de Nilton Cezar. Apesar da letra ser bem comum neste tipo de música, a produção consegue fazer um bom trabalho com arranjos diferentes para as repetições e mesmo com trechos mais repetitivos a música não deixa a desejar.

Por fim, pra fechar o álbum, temos A Virada, assinada pela dupla. Uma canção bem versátil com direito a riffs de guitarra, passeando pelo country. Letra pra cima, a dupla trata de forma divertida sobre os problemas do cotidiano, declarando que a vida vai ter uma virada, o encerrando assim em grande estilo.

Ao fim desta análise, concluo que Sérgio Marques e Marquinhos conseguiram fazer um projeto de alto nível. Canções escolhidas a dedo e que trouxeram uma nova direção para a dupla e espero que sigam neste caminho predominantemente pentecostal, fazendo um diálogo com o sertanejo, já que temos uma certa carência de vozes masculinas neste estilo, por muito tempo dominado pelas grandes cantoras pentecostais.

Apesar de ter sido lançado ano passado, Abençoado ainda tem muita lenha pra queimar e tem tudo pra fazer sucesso nas igrejas pentecostais em todo o Brasil como já vem acontecendo. Não posso deixar de creditar ao maestro Melk Carvalhêdo o mérito de produzir um CD como este em que Sérgio Marques e Marquinhos nos entregou. Se você ainda não conferiu este projeto, está na hora de adquirir. Você pode ouvir online gratuitamente através do Spotify, ou para adquirir no iTunes, clique aqui. Eu já garanti o meu e claro, o playback também! #Abençoado

4.5