Análise: CD Liberta-me – Fernanda Brum


Lançado em agosto deste ano pela MK Music, o CD Liberta-me traz uma proposta diferenciada dos outros trabalhos de Fernanda Brum. A produção ficou a cargo de Emerson Pinheiro, que também assina algumas composições do álbum. O trabalho gráfico desta vez é assinado pela Quartel Design, que apostou num visual temático, sendo a capa oficial escolhida pelos internautas entre duas opções divulgadas.

Abrindo o disco temos a faixa tema do álbum, “Liberta-me”, composição de Fernanda e Arianne. Bela introdução, canção reflexiva. A mescla de instrumentos no refrão, principalmente da bateria eleva a música a outro nível. Versa sobre o clamor, pedido de liberdade. A melhor parte ficou por conta da ponte, já que o termo “Liberta-me” acabou ficando repetitivo. Apesar de bonita, não é a melhor faixa do disco.

Cacos pelo chão” segue a linha introspectiva, ao estilo “oração cantada”. A introdução ao som do teclado que aos poucos vai ganhando força contrastando com o refrão que chega impactando, resulta numa canção gostosa de ouvir e refletir. Versa sobre a restauração. Tantos problemas nos derrubam nos despedaçam, mas o alicerce continua firme, necessitando que o Senhor nos erga outra vez. Composição de Emerson Pinheiro.

De Claudio Claro, “Tu me amas” começa com um efeito interessante já utilizado por outros cantores e que ficou marcado na música “Jesus é o caminho” de Heloisa Rosa. A canção é um tanto complexa de entender a lógica da letra, já que mais parecem frases soltas. Basicamente fala sobre missões, a ordem de Jesus a Simão, para que de pescador de peixes, tornasse um pescador de almas. Em primeira pessoa, Fernanda canta falas de Jesus.

Aqui já deve ter alguém aflito querendo pular as faixas em busca de uma música com cara de “Pavão pavãozinho”, ou “Dá-me filhos”, com uma pegada mais enérgica, que por sinal Fernanda Brum se sai muito bem. Porém, o CD continua nas canções suaves com “Santuário cheio da tua glória” de Luiz Arcanjo. Canção vertical possui o tema adoração como foco. Destaque para o back vocal. Harmonia perfeita.

Uma só voz” – versa sobre a unidade do povo de Deus, sobre a comunhão, ao partir o pão – faz referência à santa ceia. Mais uma vez o back vocal, apesar de discreto, compõe muito bem a canção marcada pela bateria. O violino também aparece dando um toque mais refinado à música. Excelente tema. Esta é mais uma composição de Cláudio Claro.

Finalmente quebrando aquele tom um tanto melancólico trazido desde o começo do CD, vem “Deus mandou”, que, apesar de ser uma canção animada, não chega a empolgar. Pode-se dizer que “Deus mandou” faz referência a “Tu me amas”, afinal, muda-se apenas o ângulo de visão, o tema é o mesmo. Destaque para o refrão: “Pano de saco por louvor Cinzas e trapos por amor Morte tem cura lá na cruz Nas pisaduras de Jesus”. A autoria de Cláudio Claro.

A introdução de “Forte e poderoso” com riffs de guitarra vem para trazer esperança a quem já estava desesperado por uma canção mais “up”. Bateria e guitarra se unem para fazer a melhor introdução de todas as canções do CD. A composição de Rodrigo Claro narra a vitória de Jesus sobre o mal. “O nosso é forte e poderoso, forte e poderoso não conhece o que é perder” leva o CD a outro nível. Um “quase rap” mostra a versatilidade desta cantora talentosíssima. O back vocal também se destaca nesta incrível canção.

Nada pode me separar”, uma parceria de Arianne e Emerson, continua no melhor estilo Fernanda Brum de ser. Back vocal, bateria, e a interpretação de Fernanda dão show. O baixo e o sax também não deixam por menos. Queria empolgação? Então toma essa!

Explicando as borboletas do projeto gráfico, vem “Saindo do casulo” de Marcelo Manhãs. Extremamente poética essa é uma canção mais intimista, versa sobre a liberdade. “O Senhor desata Sou livre pra viver o seu melhor vencer o meu casulo o meu lugar seguro fortalecer minhas asas pra voar” a segunda parte, após a ponte, cresce com a presença marcante do back vocal, a pegada mais agressiva da bateria e da guitarra traz uma vivacidade contagiante à canção mandando a melancolia pra bem longe.

Em “Rasgando o coração” é a interprete se despindo perante Deus, se humilhando perante ele. Uma bela mensagem de fidelidade ao Senhor. Autoria de Eyshila.

Preciso de uma chance” começa com uma pequena narração de Fernanda Brum. Mais uma que inicia com poucos instrumentos, priorizando a interpretação da cantora. Versa sobre milagres, fé e conquistas. Interessante mensagem de que o segredo do milagre está em Jesus (a verdadeira fonte), e não na religião. Mescla as histórias do coxo do tanque de Betersda com a da mulher do fluxo de sangue. A segunda narração durante o solo completa a mensagem exposta pela canção. Parceria de Fernanda, Emerson e Kleber Lucas na composição.

Composição de Claudio Claro, “Dia Feliz” é mais uma canção extremamente poética. É preciso atenção para “pegar” a mensagem. Canção doce, adoração suave, de harmonia singular. Prazerosa de se ouvir e refletir.

Do casal Fernanda e Emerson, “Tanto assim” versa sobre o incrível amor de Deus por nós, mesmo sem merecermos. Com uma levada de adoração, segue a linha introspectiva, conversa homem e Deus. Aqui o back vocal vem com força. Sonoridade simples, mas perfeita. Mergulhe nesta música…

Notadamente Fernanda direcionou este CD à adoração e, “Seja bem vindo” reflete bem isso. Imagino aqueles momentos de adoração nas igrejas entoando essa canção. A canção demora um pouco para crescer, mas o contraste entre a primeira e a segunda é bem interessante. Incrível interpretação. Mais uma presença marcante do back vocal. De Geraldo Guimarães e Renato César.

Mais uma introdução imponente, “Todo poderoso” fecha o CD em alta. A primeira estrofe destaca a voz da cantora. No refrão a canção cresce, principalmente graças à bateria, cordas e violino. O back vocal se une à Fernanda levando a canção à perfeição. Mais uma composição do casal Fernanda e Emerson.

Liberta-me é um álbum bastante vertical, canções cristocêntricas marcam todo o trabalho. Aliado à incrível interpretação de Fernanda, arranjos bem elaborados, mas não rebuscados, e a economia firulas são os destaques do CD. Porém peca pelo excesso de canções intimistas e calmas demais. Acaba dando a impressão de um trabalho repetitivo e muito uniforme.

Provavelmente se não fosse tema do disco, a canção “Liberta-me” não seria escolhida para single. Comparado às outras do álbum, é canção mediana. Destaco “Forte e poderoso”, “Nada pode me separar”,  “Seja bem vindo” e “Todo poderoso” como as melhores do disco.

Comentários

comments

Previous Entrevista: Bruno Branco
Next Entrevista especial com o cantor e compositor Tony Ricardo

2 Comments

  1. Anonymous
    23 de outubro de 2012
    Responder

    muito bem explanada. Ficou show!!!!

  2. 21 de janeiro de 2013
    Responder

    uhul , amoo amo

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *