Análise: DVD IDE – Thalles


ID3, de Thalles, foi considerado pela equipe do O Propagador como um dos melhores álbuns de 2014. Registrado em CD e DVD, foi gravado ao vivo em 30 de maio, na Igreja Bola de Neve de São Paulo-SP. Sua versão audiovisual contém 21 faixas, estando 14 delas presentes no CD homônimo.

O registro em vídeo contém 21 faixas, estando 14 delas presentes no CD homônimo. O projeto ID3 conta com a direção artística de Daniel Silveira, direção de áudio do próprio Thalles Roberto e Eduardo Levy e Marcelo Paiva como diretores de vídeo.

O trabalho é aberto com Hoje sou pai e entendo, uma música inusitada para se iniciar um álbum, mas que acabou tendo um resultado bacana com a apresentação da família do cantor no palco e uma dramatização com atores do grande grupo cristão de teatro, o Jeová Nissi, encenando a via crucis e fazendo um belo link com a faixa seguinte, Como Agradecer. A canção é bastante simples, mas combinada com uma fotografia de tirar o fôlego e uma interpretação cativante, que levou a boas doses de emoção, se torna um dos pontos altos do DVD.

E era assim que tava eu inicia a fase #Pressão de Thalles no projeto. Com uma letra de mudança de vida, característica do cantor, a música tem bela participação do back vocal e cumpre bem o seu papel de levantar o público.

Deus vai cuidar de Mim, presente apenas no DVD, faz dupla com a regravação de Deus sabe o que é melhor pra mim, compartilhando a mesma temática. Essa última, conta com a bela participação do Coral Soul Livre, mas em se tratando de uma canção já gravada anteriormente e sucesso na voz de Mariana Valadão, a música poderia estar apenas no DVD, abrindo espaço para uma faixa inédita no CD principal.

Se liga no Groove é a boa faixa com temática política e social. Como 2014 foi ano de Eleições e Copa do Mundo de Futebol, o assunto estava em alta. A música tem merecido destaque no DVD, tanto pela interpretação no mínimo empolgada do cantor quanto pelas belas imagens que gerou em vídeo.

Quem é você?, música que o cantor tem trabalhado como single é um espetáculo a parte. Com os painéis de LED mostrando o frenesi urbano, bailarinos mascarados no palco e trajando figurinos que retratam a oposição entre o bem e o mal dentro de cada pessoa, coreografia marcante e uma interpretação vigorosa do cantor, a música tem merecido destaque. Vale também informar a participação de Paulinho da banda Jota Quest na bateria.

Prazer, eu to feliz é a 8ª faixa do DVD, mas é a música de encerramento do CD, posição que, pela pegada, combina mais com ela. É uma boa música, mas sem grande apelo visual no trabalho de vídeo.

É a Presença é mais um dos grandes momentos do projeto. Iniciando com um pequeno testemunho sobre a relação do cantor e sua família com a Igreja Assembléia de Deus, a canção é uma homenagem à denominação centenária e berço do pentecostalismo no Brasil. Sendo uma das músicas de maior apelo popular do trabalho, a faixa poderia (deveria, eu digo) ser trabalhada como single. É um hit em potencial. É aquela música de igreja, em que Thalles novamente divide o protagonismo com o Coral Soul Livre e coloca seu swing em flerte com a música pentecostal das décadas passadas.

A partir daí, o show entra em um momento mais calmo e intimista, além de um tanto longo para os padrões dos trabalhos anteriores de Thalles Roberto.

Uma das músicas mais esperadas da gravação, Quero sua vida em mim já tinha ganhado um lyric vídeo e contava com a participação especial do cantor de funk Naldo Benny, cuja história de conversão era um dos assuntos preferidos da imprensa especializada em celebridades. No DVD, a faixa não apresenta nada de novo, mas vale destaque pela interação entre os cantores.

Seguindo a linha dos testemunhos, a música Dá-me um coração segundo o seu coração do mineiro Edvaldo Santos é introduzida por um vídeo com testemunho dramatizado do jovem compositor que faz dueto com Thalles na faixa. É uma música bastante simples, mas cumpre seu papel e ganha maior significado quando associada às condições em que foi composta.

Finalizando as participações especiais no solo, temos Que amor é esse? que conta com a participação de Delino Marçal. Bela música e que, dado o tema e a vibe, teria feito uma bela dupla com “Como Agradecer”. Para deixar a música mais atraente, uma editada teria sido uma ótima opção, deixado-a um pouco mais curta na casa dos 4 minutos. Aliás, esse é um problema meio recorrente no projeto: boas músicas, mas que ficam meio longas e um tanto arrastadas, como Tempestade e Espírito Santo. Essa última é uma bela música intimista e que ainda merece elogios pela bela participação dos violinos.

O que será que Deus está fazendo agora, Faz Chover e Avenida do Arrependimento, caminho da cruz, com sua iluminação vermelha, estão apenas no DVD. São boas canções, mesmo que aparentemente sem maiores pretensões. Valem destaque mesmo graças às belíssimas imagens que renderam no vídeo.

Zion, possivelmente, seria uma boa opção para estar no CD principal. Com uma letra que é a cara do Thalles, a música pareceu agradar em cheio o público presente na gravação.

Sem o Seu amor é indicada como a 19ª faixa no encarte e contracapa do DVD, mas quem vem é Pai, eu quero te obedecer, música que tem boa letra, mas não acrescenta muito ao trabalho musicalmente.

Tempos bons é uma homenagem àqueles entes queridos falecidos. Enquanto canta sobre boas lembranças, os painéis de LED mostram fotos de pessoas que partiram. É um momento bonito, mas que fica meio deslocado do restante do trabalho. Poderia estar nos extras.

Encerrando o DVD, os anos 1970 e a veia Motown, que aparecem sutilmente em alguns momentos, chegam com tudo e cheios de fumaça em Cê quer saber?, que também conta com a participação de Paulinho na bateria. Os looks, o globo espelhado, o breakdance e toda a áurea disco rendem belas imagens. Embora “Prazer, eu to feliz” pareça ser uma melhor opção musical, foi um bom encerramento visual para um projeto primoroso nesse sentido.

ID3 é uma SUPER PRODUÇÃO, assim em caps lock mesmo. Um belo local de gravação, um palco espaçoso que se estende no meio da platéia em um grande número “3” por onde o cantor interage com os presentes, 12 figurinos diferentes do cantor principal, 1 grupo de teatro, 1 coral, 3 cantores convidados e alguns dos melhores músicos da atualidade juntos. A Iluminação e cenográfica são soberbamente impecáveis. É um trabalho que faz bem aos olhos. Cada imagem do DVD parece ter sido cuidadosamente selecionada. Nada está fora do lugar. No que diz respeito à questão visual, é um dos melhores trabalhos lançados na música gospel nacional.

O principal defeito do projeto é a falta de músicas com força de hit. O que sobrou em álbuns como o Na Sala do Pai e Uma História Escrita pelo Dedo de Deus, que foi a grande concentração de hits por “minuto quadrado”, o “ID3” é cheio de músicas boas e medianas, mas faltam aquelas com cara de sucesso. As que melhor se qualificam para esse papel é “Quem é você” e “É a Presença”, sendo essa ainda pouco explorada.

Vale citar ainda alguns erros gráficos. No encarte e contracapa do DVD as músicas “Se Liga no Groove” e “Deus sabe o que é melhor pra mim” estão invertidas, ocupando a 5ª e a 6ª faixas, respectivamente. A 19ª faixa indicada se chama “Sem o Seu Amor”, mas essa música não se encontra no DVD. São erros Pequenos, mas que não passam desapercebidos.

Concluindo, ID3 é um projeto muito bom tecnicamente, mas meio morno em vários momentos. Thalles aparece mais maduro e faz um trabalho milimetricamente planejado, mas que não empolga de todo.

Para quem está no grupo que acha o cantor exagerado, o ID3 pode ser uma boa opção de ver um Thalles mais comedido. Por outro lado, os fãs da #Pressão e das músicas dançantes podem se desapontar um pouco.

Previous Conectados no Amor - Todas as pessoas irão sofrer
Next Um Brinde - A arte de decepcionar leitores

1 Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *