Unstoppable Love é o mais recente trabalho do grupo ministerial Jesus Culture. Gravado em janeiro de 2014, durante a Conferência Anual em Sacramento no Auditório do Memorial Histórico da Califórnia, o álbum foi distribuído pela gravadora Onimusic no Brasil. Traz 13 inéditas e uma palavra de Banning Liebscher, “Answering the Call to Prayer”.

O Jesus Culture tem atingido um patamar de grande e renomada reputação, desde seu lançamento na música cristã. A banda, juntamente com Hillsong United, um dos maiores destaques do movimento, tem embalado os cultos de jovens, e com a proposta dos músicos, tem levado a adoração íntima e extravagante a todas as nações. Entre vários cantores e bandas internacionais, esse é um dos conjuntos cristãos que mais foi regravado por artistas brasileiros, além de que a própria é conhecida por conter muitas regravações de outros músicos.

A obra segue a mesma linha dos projetos anteriores: músicas com a sonoridade do pop rock e rock britânico, faixas estendidas por espontâneos e ministrações, por exemplo, como a faixa-título que possui uma bela performance e espontâneos por parte da Kim Walker, e ótimas interpretações por parte dos vocais do grupo. Os créditos das principais interpretações vocais são de Cris Quilala e Kim Walker. Kim Walker, desde o primeiro lançamento, mostrou uma potente voz, que de longe demonstra ser a melhor do conjunto. Cris Quilala cumpriu seu papel na parte lírica.

Contundo, a recente produção exibe o grupo como apenas um conjunto de igreja ou com músicas contemporâneas e juvenis, desde ao estilo musical, até letras de devoção a Deus e de seu amor incondicional, falhando no item criatividade. As melodias possuem a mesma estrutura musical, o pop rock altamente influenciado por grupos cristãos como Hillsong United, e o pelo rock britânico como U2. As canções do álbum apresentam camadas cheias de melancolia, que buscam expressar a sensação de estar conectado a Deus, somadas as letras de devoção.

Um ponto positivo do álbum é a pouca quantidade de canções tiradas ou regravadas de outras obras musicais. As exceções do conjunto é “10.000 Reasons”, do Matt Redman, e de “You Made a Way”. O Jesus Culture já era conhecido pelas suas regravações como “How He Loves Us”, do americano John Mark McMillan. O projeto, apesar de ter mais da criatividade e produção do Jesus Culture, ainda assim expõe um álbum muito pouco criativo.

Unstoppable Love segue a proposta do ministério: levar o amor divino e o estilo de adoração para todas as pessoas, e consegue devidamente desempenhar esse papel, os instrumentistas cumprem seus ofícios, mas como um grupo musical ainda permanece como só mais um em uma multidão de compositores contemporâneos.

Aprovado com ressalvas.
3,5