Conectados no Amor – Meditações do dia: Pensando algo impensável


Eu admito que tenho hábitos introspectivos. E com todas as minhas meditações (vãs ou não), pus-me a pensar em algo impensável: eternidade. Contraditório ou não, pelo menos eu tentei. É claro que a situação de se imaginar algo que não se imagina é a mesma coisa que um peixe tentar pensar fora d’água.

Mas refletindo sobre o conceito de se pensar em algo que não faz parte de meus pensamentos, percebi uma coisa: só imaginamos ou criamos uma nova realidade a partir do que vemos, vivemos ou do que já existe. Ou seja, eu, um grande iludido a tentar criar, compor e escrever algo, percebi que não criava nada, mas apenas misturava símbolos, coisas, formando uma novo ser. Oh, que grande ilusão de um pequeno aspirante a criador!

Aí, percebemos a realidade do enunciado de Antoine Lavoisier: “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. Desculpem-me os escritores, artistas da vida, mas vocês não criam nada, apenas transformam. E eu que achava que escrevia músicas, apenas misturava notas musicais, harmonias, ritmo, e formava uma canção que não é nada criativa, mas bem transformada. Não há nada novo no mundo.

Voltando ao assunto que eu estava falando, tentei pensar na eternidade. Em meus raciocínios refleti: o Ser Eterno, por ser eterno que é antônimo de temporal, não poderia ser uma contagem infinita, pois isso continua sendo temporal, mas num tempo infinito e além de ter que ter um início, o Ser que é maior que tudo não poderia ter tamanho, pois tamanho indica possibilidade de ser medido e compreendido e, além disso, propõe que Ele tenha um espaço e volume e, se Ele tem um espaço e volume, já não pode estar em todos os lugares, ou seja, Ele é inimaginável, incompreensível, não pode ser medido, não vive pelo tempo, e já que não vou conseguir parar de descrevê-Lo, vou resumir a isso: Eterno.

Assim, Ele é o único que sabe criar e criou tudo isso que a gente sabe transformar. E eu, mais uma das milionésimas criações dEle, persisto a cada dia em conhecê-Lo (não compreendê-lo, pois não consigo), como um peixinho, melhor, um salmão nadando contra correnteza do mundo de volta ao lugar de onde eu vim, até ser transformado num ser que vive fora da água.

É claro que uma ilustração temporal ainda não conseguiria ainda definir um Ser Eterno. Então é melhor ficar com esse versículo aqui:

Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” 1 Coríntios 2:9

Previous Rocklogia - Princípio
Next Análise: CD Tempo de Sorrir - Pamela

1 Comment

  1. […] Essa característica é algo impossível para o homem, já que tudo que ele faz é baseado em algo (criar difere-se de transformar, já dizia Lavoisier). Neomorphus poderia se criar? Poderia construir uma […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *