Conectados no Amor – Mudando de ano, mudando os planos


Ano novo chegou, e como todo mundo diz, uma vida nova, novos planos e sonhos surgem juntos também. Tudo que as pessoas mais querem para um ano que acaba de abrir as portas, é que ele escancare as portas para caminhos de felicidade, alegria, paz, positividade e muito dinheiro no bolso. Elas já entram em alta astral nesses dias que chegam, fazendo planos, simpatias e tudo mais para que o ano seja bom.

Sobre mim, nunca fiz planos para o seguimento do ano, mas agora vejo a importância desse ato. Organizar o que desejamos fazer, os sonhos que desejamos buscar, estruturar projetos, e colocar isso no papel ajudam bastante a viver melhor, e ainda conseguir realizar metas. Que nesse ano, possamos trocar a sorte por organização e esforço.

Mas nem sempre as coisas andam do jeito que a gente quer. Acasos, surpresas e outras coisas que não estavam nos planos sempre acontecem. Como diz o sábio Salomão, casualidades negativas ocorrem na vida do ímpio, como na do justo (Ec 9:2). No entanto, o que chamamos de acasos, para Deus é só uma fase, porque tudo tem seu tempo. Deus diz que insensato é aquele que faz seus próprios planos e crê firmemente que eles se concretizarão, mas sábio é aquele que entrega seus caminhos a Deus, inclusive seus sonhos (Tg 4:13-16). A organização é uma sabedoria para vida, mas a entrega de nossos projetos para o Senhor é confiar que Ele sabe o melhor rumo que deveremos tomar.

Porém, vamos falar de outro assunto: sempre que um novo ano chega, as pessoas pensam em realizações, uma vida melhor, nos seus sonhos e em suas próprias barrigas. Será um novo dia, mas com uma vida velha, e o mesmo tempo engolindo o hedonismo e a exaltação do próprio ego. Virá um novo período de novas conquistas, mas o interior permanecerá vazio. Será que ao invés de continuar na velha vida, por que não começar um ano novo com novas atitudes: pensar no próximo e no mundo?

Por que não podemos em vez de pensar em conquistar o próximo carro, a próxima casa, mais roupas, pensarmos em quem não tem nada disso? Por que ao invés de começar um próximo grande projeto para benefício próprio, não podemos investir em um trabalho social, participar e ajudar a quem precisa? O mundo já está cheio das velhas canções sobre a morte, por que não começar a cantar uma música viva?

Que esse ano seja diferente, que possamos realmente nos ligar no amor divino, pois é isso que o que mais precisamos: mudar de pensamento e de jeito de viver, retornando a forma original, que é para o qual fomos feitos. Que possamos ter ações que provem o nosso amor, em vez de viver um amor fingido de palavras e emoções.

Que possamos estar conectados no amor!

Comentários

comments

Previous Diante do Trono - discografia e obra
Next Análise: CD Learning to Breathe - Switchfoot

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *