Conectados no Amor – Preparem-se para a glória


O filme 300, dirigido por Zack Snyder, traz uma grande lição: a glória de morrer. A produção cinematográfica conta a história do povo de Esparta, que foi afrontada por um desejo de Xerxes I, o rei da Pérsia, de dominá-los. O rei de Esparta, Leónidas, um homem que aos sete anos entrou para um ritual de privações e testes a qual todos espartanos passavam, ergueu-se contra os persas e contra a tirania de Xerxes, e liderou trezentos guerreiros que provocaram um grande estrago no exército inimigo. No entanto, todos esses trezentos soldados morrem no final do filme.

A história narra majestosamente o sentido de honra e coragem dos espartanos contra os persas, lidando com o verdadeiro sentido de glória. E esse valor demonstrado no filme que pode trazer muitas reflexões para uma vida cristã.

Cristo deixou aos seus discípulos que todo aquele que quisesse o seguir, deveria tomar a sua cruz, e porfiar por um caminho estreito.

Mateus: 10. 38. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim. 39. Quem achar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á.

Caminhar sobre estrada é ser desligado da própria vida, viver com a condição de que será provado todos os dias por algo maior que o próprio respirar. Paulo dizia que somos mais que vencedores, pois nosso propósito trata-se maior que vitórias e batalhas ganhas, porém na glória de perseverar pelo Reino de Deus em qualquer circunstância. Aquele que não está disposto a morrer, não pode entrar por esse caminho.

A morte tem vários aspectos na vida cristã, sobre desejos pecaminosos, por tristezas e provações, mas a honra em persistir nos momentos difíceis produz eternos frutos de glória. Em uma certa parte do filme, um soldado espartano em conversa com um soldado comum de um povo que se juntou a eles para lutar contra os persas de espiona o campo inimigo. O espartano ri de alegria, enquanto o comum estava tremendo de medo. Essa eufórica felicidade é uma expressão do desejo de glórias maiores que a própria guerra, mas de uma honra provinda do próprio ato de morrer por seu povo.

Preparem-se para a glória.” (300)

Comentários

comments

Previous Fernandinho - discografia e obra
Next Um Brinde - Alguém pode parar esta coisa?

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *