Janires e Amigos: primeiro álbum ao vivo da música cristã


Existem acontecimentos, que por mais relevantes que sejam, são esquecidos por várias pessoas. Muito é dito a respeito do legado de Janires e sua importância para a música cristã nacional, mas a dimensão de seu impacto é pouco citada.

Janires e Amigos, é talvez um destes exemplos. Considerado o único álbum solo do cantor e compositor capixaba, hoje creditado como parte da discografia do Rebanhão, o disco foi gravado com muita dificuldade e particularidade.

Era 14 de dezembro de 1984, há exatos 30 anos. Há cerca de 5 anos, Janires, como frontman do Rebanhão provocava um verdadeiro reboliço na cena cristã da época. Com canções como “Baião”, “Casinha” (do álbum Mais Doce que o Mel), “Hoje sou Feliz” e “Casa no Céu” (do subsequente Luz do Mundo), Janires mostrava sua capacidade criativa. Mas seu sonho não era simplesmente se tornar um ícone da música cristã nacional. Eis, que durante este contexto, surge Janires e Amigos.

Dez anos antes da gravação, em 1974, com cerca de 21 anos de idade, o cantor converteu-se e deixou um passado cheiro de “aventuras” para trás. Com a temática de dez anos de conversão, Janires chama vários amigos e parceiros e decide gravar um álbum ao vivo. Só que ninguém do meio cristão, aquela altura do campeonato tinha gravado um trabalho deste tipo: ele seria o primeiro.


A equipe técnica

Para gravar o álbum, Janires teve a ajuda de Ermínio (técnico de estúdio), Barney (seu assistente) e Silas (responsável pelo estúdio onde a obra foi mixada). Pela tecnologia da época e os recursos disponíveis, o álbum foi gravado numa mesa de oito canais.

O grande problema era que, com oito canais era muito difícil comportar todos os músicos e vocais da gravação. Mas com muito jeito, conseguiram.


O local de gravação

O álbum foi gravado na cidade do Rio de Janeiro, no auditório da Rádio Boas Novas. Nesta época, a quantidade de rádios cristãs ainda não era muito grande, e certamente tais parcerias eram vitais para a banda. Com o álbum Luz do Mundo, por exemplo, o Rebanhão conseguiu ter músicas executadas em rádios fora do nicho cristão.


As participações especiais

Janires e Amigos é um disco cheio de participações especiais. A começar pela mãe de Janires, na qual foi homenageada na canção “Mamãe“. O cantor também era amigo do jogador goiano Baltazar, no qual chegou a atuar pela Seleção Brasileira de Futebol. A ele foi dedicada a canção “Baltazar, o artilheiro de Deus”.

Juntamente com o Rebanhão, em alguns teatros, a atriz Helena Brandão, mais conhecida pelo seu nome artístico Darlene Glória contava seu testemunho de vida. Janires a homenageou com a canção “Helena”, na qual versa sua história e conversão.

Nesta época, o cantor João Alexandre fundava o Grupo Pescador, bem no início de sua carreira. Na gravação, o cantor dividiu os vocais com Janires na música “Casinha”, até hoje uma das canções mais icônicas do Rebanhão.

Além destes, Janires era amigo do atleta Alex Dias Ribeiro, no qual foi inicialmente homenageado em “Hoje Sou Feliz”, do álbum Luz do Mundo. Mas desta vez, o tributo foi mais direto com a canção “Alex, o Baixinho Voador”. Ainda, uma canção poética, para a Rede Boas Novas fecha o álbum, “À Minha Amiga R.B.N. (Lindas Canções)”.

Dentre outras canções do disco, há um momento de oração, conduzido por Alex Dias Ribeiro, a regravação de “Baião” com a participação dos demais integrantes do Rebanhão, uma versão de “Jesus Cristo Mudou Meu Viver” e “Jesus Super Herói” com temática infantil, gravada num dueto entre Wagner Carvalho e Ed Wilson.

O instrumental é tocado pela Banda Fé. Outras participações especiais incluem Ed Wilson, Clube Bíblico Jesus Vive e Waldenir Carvalho (pai de Cristiane Carvalho e Wagner Carvalho, este último que nos anos 90 foi baterista do Rebanhão).


ARCA

A Arca Musical Evangélica foi uma gravadora do Rio de Janeiro que distribuiu o álbum Luz do Mundo (enquanto Mais Doce que o Mel e Janires e Amigos foram pela Doce Harmonia). Curiosamente, a canção que mais se destaca no álbum é “Arca (Festa de Arromba Evangélica)”. Nesta música, Janires praticamente cita o nome de todos os cantores cristãos e bandas relevantes da época de forma muito bem humorada.

Vinha andando, andando voando pelo meio da rua / Quando encontrei com a banda do exército da salvação / Tocando rock, rock, rock pra Jesus junto com o Edson e Tita / Sinal Verde, Ozéias de Paula e o Maurão / Grupo Logos, Imperiais, Victorino da Silva / Vencedores por Cristo tocando com Dani Berrios / Jovens da Verdade, Nicolete, Sonoros e o Grupo Semente / E Shirley Carvalhaes cantavam com a gente / B.J. Thomas, Don e Asaph, Feliciano Amaral / Grupo Atos, Edson e Telma e o Som Maior / S8, Andrae Crouch, Denise e os Cantores por Cristo / E o Paulo César do Música Viva, que que é isso?

E descobri que estava sonhando, um sonho muito legal / Que um dia vai se cumprir no lar celestial.


A capa

A capa de Janires e Amigos foi produzida pelo cantor Marcos Góes. O projeto, em sua frente possui um desenho, contendo as participações do álbum listadas. Nota-se que o desenho da ovelha com o pastor foi o “logotipo” do Rebanhão em seus primeiros anos.

O verso da capa mostra uma foto de Janires com músicos da gravação.


Citações

O Janires foi um cara único, ele saiu talvez porque nós não conseguíamos seguir no ritmo dele. Deus o usou de maneira especial e o levou. No entanto tinha outros planos para o resto de nós. Foi um desafio quando ele disse que ia sair, mas conseguimos seguir em frente com a graça e misericórdia de Deus. (Pedro Braconnot)

Esta gravação foi muito legal e corajosa. Não esqueço: tudo engatilhado, mas deu certo, era tudo em cima de milagres. (Carlinhos Felix)

Janires tinha o raro talento de dizer coisas profundas de forma simples! Hoje em dia complica-se tudo pra não dizer nada! (João Alexandre)


Relançamento

Inicialmente, Janires e Amigos foi lançado como um álbum solo de Janires, contendo a participação do Rebanhão. Porém, em 1994 o álbum foi remasterizado, e sua capa foi modificada, incluindo o nome da banda na lateral, em letras grandes. Incluso na discografia do Rebanhão, foram inclusas duas faixas bônus, nas quais são a gravação original de “Baião” e “Mel”, do álbum Mais Doce que o Mel.

A ordem das músicas também foi alterada.


Legado

Mais do que o primeiro álbum cristão gravado ao vivo no Brasil, Janires e Amigos é um exemplo que a arte cristã não precisa se encapsular em padrões líricos e estéticos e que é possível sim prestar homenagens e tributos a pessoas mantendo o principal foco, no qual é Jesus.

Previous TOP 10 - Melhores músicas gospel de 2014
Next Para refletir - Quem sou eu pra julgar?

3 Comments

  1. […] Janires e Amigos (Doce Harmonia/1985): O disco funciona muito bem enquanto solo de Janires, de longe o melhor membro do Rebanhão. No entanto, como banda, o álbum é deslocado. Destaque para as letras de “Helena, todo o pecado estará perdoado” e “Arca (Festa de arromba Evangélica)”. (Nota: ) […]

  2. […] PROPAGADOR – Em dezembro, completam 30 anos da gravação de Janires e Amigos, o primeiro álbum da música cristã nacional gravado ao vivo. O senhor possui alguma lembrança […]

  3. […] como participação temporária). Curioso que, quase dez anos antes, Wagner participou do álbum Janires e Amigos, nos vocais de “Jesus Cristo Super Heroi”. O primeiro disco desta formação foi […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *