Rocklogia – Músicas seculares que edificam – parte 2


Há uns meses, aqui na Rocklogia, foi publicado um post com exemplos de músicas seculares que possuem conteúdos fortemente aproveitáveis e coerentes com o cristianismo. Se, ainda, você não leu clique aqui e confira as canções já citadas e os motivos pelos quais essa lista está sendo feita.

Caso você tenha sugestões, faça-as nos comentários. Toda opinião é bastante útil.

Run Devil Run – Paul McCartney

Paul McCartney, conceituado e mítico músico mais conhecido por ser um ex-Beatle lançou “Run Devil Run” em 1999, no álbum de título homônimo. A história por trás da música é bastante curiosa. O cantor estava em Atlanta, e numa loja de artigos encontrou um óleo de sais para espantar maus espíritos de título Run Devil Run. Paul achou o nome curioso, e mais tarde escreveu a letra, que utiliza-se de muito humor.

Esta fase na carreira do cantor é ímpar, pois ele havia acabado de perder a esposa para o câncer, Linda McCartney. Em 1999, decidiu gravar um disco, com a maior parte do repertório composto por covers de hits dos anos 50. A banda que o acompanhou foram de grandes músicos, com destaque para David Gilmour, guitarrista do Pink Floyd e Ian Paice, baterista do Deep Purple.

Livin’ On a Prayer – Bon Jovi

Clássico da banda, “Livin’ On a Prayer” conta a história de um casal que vive uma situação complicada no campo financeiro. Mas enquanto possuem um ao outro, já possuem o que é mais importante.

A canção nos faz pensar e lembrar, mais uma vez que as pessoas que estão ao nosso lado são mais importantes que bens materiais ou posições de status que podemos alcançar.

Any Road – George Harrison

Apesar de cada beatle ter sua particularidade, George Harrison possui aspectos interessantes em sua vida e música. Mesmo não tendo uma tradição estritamente cristã, George era o integrante da banda que mais procurava e evidenciava uma busca pela espiritualidade. Várias de suas músicas apresentam essa questão.

“Any Road”, que abre seu álbum póstumo é esse um dos exemplos. Relacionando os meios de transporte, as estradas e a incerteza dos caminhos da vida, o músico diz, em outras palavras que a melhor escolha é curvar-se ao Criador.

How Can I Go On – Freddie Mercury e Montserrat Caballé

Do álbum Barcelona, de 1988, com participação do baixista John Deacon no instrumental, o vocalista do Queen, Freddie Mercury faz uma espécie de desabafo sobre o HIV que tinha acabado de contrair. Nesta canção, o cantor pergunta: “como posso continuar?”, e pede o cuidado de Deus.

A parceria entre o músico de rock e a cantora de ópera Montserrat Caballé é, até hoje um dos maiores crossovers da história da música.

Dream On – Aerosmith

Integrante do álbum de estreia da banda, “Dream On” é um dos maiores sucessos do Aerosmith. A banda, originada nos EUA nos brinda com essa música que, resumidamente fala sobre o curso da vida. Nascer, viver, envelhecer e falecer, o caminho da humanidade. Entretanto, mais importante do que isso é não deixar o que se faz hoje para amanhã, pois talvez, amanhã é o dia de sua morte.

I Still Haven’t Found What I’m Looking For – U2

U2 já é uma banda mundialmente conhecida por sua influência no rock oitentista, e por ter a característica parcialmente (ou totalmente peculiar) de parte de seus integrantes serem cristãos assumidos mas não buscarem ser uma banda de “rock cristão”. Inimigos do grupo à parte, o U2 é uma banda extensamente respeitada, e The Joshua Tree é o seu álbum mais conhecido. Deste projeto,temos “I Still Haven’t Found What I’m Looking For”, com versos baseados em Iº Coríntios 13.

Monte Castelo – Legião Urbana

Já clichê nas listas de músicas seculares que temos por aí, “Monte Castelo” utiliza-se da mesma referência utilizada pelo U2, também tomando por referência versos de Camões. Integrante do álbum comumente mais respeitado da banda, As Quatro Estações, a canção possui uma letra e melodia simples.

Dom Quixote – Engenheiros do Hawaii

Dançando no Campo Minado é, geralmente um álbum do Engenheiros na “lista negra” de muitos da mídia especializada. Mas “Dom Quixote” é surpreendente. Sua lírica, certamente sarcástica brinca em como as pessoas são desacreditadas e ridicularizadas em tentar seguir com algo aparentemente impossível. Muito coerente com o contexto da fé cristã, não?

E você, se lembra de mais alguma música não listada aqui? Comente!

Previous Limão com Mel - Cantores gospel também são humanos
Next TOP 10 - Polêmicas gospel de 2014

1 Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *